• Ligue Agora: (11) 3181-8538 ou (11) 99536-9407

Mastologia


CÂNCER DE MAMA:

Esta doença, levou a óbito 35 mil mulheres no brasil no ano passado. Estima-se que seguirá matando mulheres e homens (2% do total dos casos).

A cura ou contrôle da doença, e diretamente proporcional ao diagnóstico precoce ou fase inicial da doenca.

Quanto mais no inicio, for diagnosticada, maior a probabilidades de cura.

EXAMES PARA O DIAGNÓSTICO:

1= Exame Físico / História Clinica

A: Presença de um Caroço ou Nódulo , Descobertos a Apalpação Através do Auto Exame.
B: Exame Realizado Pelo Profissional Médico Durante O Atendimento.

2- Exames De Imagem:

A: Mamografia Bilateral
B: Ultrassonografia Mamária Bilateral
C: Ressonância Magnética Se Necessário
D: Tomografia Computorizada (casos Avançados)
E: Biosia Dirigida Por Ultrassonografia ou Mamografia
F: Imunohistoquimica (Técnica Necessária Para Aprofundar No Diagnóstico Dos Tumores E Receptores Hormonais)

 

MAPEAMENTO GENÉTICO:

Muito importante, já detectados os genes brca1 , e brca2 como responsáveis por câncer de mama e ovario.

Tratamentos:

Cirurgia:

Tratamento principal, extremamente importante a boa conduta no inicio, para que se possa tratar de maneira adequada e levar a Paciente para cura.

Mutilatórias:

A: Mastectomias tipo patey , subcutânea , ou quadrantectomia (retirada parcial do quadrante mamário).

Não mutilatórias com reconstrução imediata:

A: Mastectomia radical + reconstrução com prótese expansora.
B: Quadrantectomia +plástica na mama residual e na mama oposta.
C: Mastectomia + reconstrução com retalhos mio cutâneos (pele e músculo), com ou sem prótese.
D: Mastectomia+reconstrução com retalhos de pele e músculo micro cirúrgicos.

Quimioterapia:

A: Muito importante esta modalidade de tratamento, visa ajudar a “destruir” possíveis células que por ventura esteja circulando ou já tenham se implantado no organismo.

Este nome tem o cunho científico de “neo adjuvante”.

B: em casos que ja existam propagação da doença geralmente para ossos, figado , pulmão e cerébro (mais comuns)

Hormonoterapia:

Tratamento instituído para bloquear funções que vão alimentar o tumôr (estrogenio –= toma o antiestrogenio t.

Radioterapia:

Tratamento localizado para doença associado a cirurgia

É realizada através de aparelhos sofisticados que emitem radiação , podendo ser “ bomba de cobalto” ou “acelerador linear”

O que é o linfonodo sentinela?:

Há alguns anos o tratamento obrigatorio era a mastectomia (retirada da mama) e retirada dos ganglios linfáticos e posteriormente radioterapia.

Um estudo cooperativo nos eeuu com 55 mil pacientes nos estagios 1 e 2 da doença (iniciais) revelou que apenas 30%

Dessas pacientes apresentavam esses ganglios comprometidos.

Então se verificou que essas pacientes estavam sendo trtadas em excesso.

Ai bolaram um método de injeção do contraste na area do tumor no mesmo dia da cirurgia, e se fazia a leitura através de exame de medicina nuclear.

Verificaram que 1 ou 2 ganglios e as vezes 3 , captavam esse contraste em área próxima ao tumor. Como estavão à frente da captação foram chamados de “sentinela” .

Durante a cirurgia, entramos com um “ probe “ para detectar a captação desses gânglios , sendo retirados e examinados pelo patologista se contem “células tumorais” .

No caso de “positivos” se faz a linfadenectomia , se negativos não se faz.`

Com isso , aproximadamente 40% das pacientes estagios 1 e 2 e as vezs no 3 , não correm o risco de edema (inchaço ) do braço , que é uma desagradável sequela da combinação

Cirurgia+radioterapia , pela secção e bloqeio dos vasos linfaticos do braço.

Isto se revelou um grande avanço para conter o “over treatment” )excesso de tratamento imposto as pacientes acometidas com o câncer de mama.

Histórico da evolução das cirurgias não mutilatórias no câncer de mama:

Historico do tratamento do cancer de mama

No histórico e evolucão do tratamento do càncer de mama

O grande avanço contra as técnicas mutilatorias, foi o trabalho de um cirurgião italiano umberto veronesi que publicou a técnica de quadrantectomia com 1250 pacientes estagios 1 e 2 , em um jornal cintífico de muita credibilidade chamado “the england journal “ Fernando gentil cirurgião brasileiro superintendente do Hospital a.c. Camargo sp. Um ano antes publica numa revista Americana “oncology” uma série de 50 casos tratados com mastectomia subcutânea da mama doente e da oposta, e reconstrução com prótese de silicone.

Final da década de 1980 e inicio de 1990 , autores americanos e Europeus fazem publicações de tecnicas dos retalhos miocutâneos e microcirúrgicos.

Começamos a aprimorar a qualidade das próteses expansoras.

Tudo isso para se conseguir tratar as pacientes , sem mutilações significativas, porque as depressões mentais que surgiam apos a mutilação , poderiam como consequência deprimir imunologicamente, e ajudar a disseminar a doença.

Realize o seu sonho e renove sua

agende sua consulta

Dr. Wandemberg Barbosa - © 2018 Todos os direitos reservados.

×
Tire agora suas dúvidas, fale conosco!